Terceirização de Empilhadeira - Avaliação da Oportunidade

Sinais de que você precisa de ajuda para terceirização de áreas em Logística

Os custos dos produtos são basicamente os custos logísticos. Os custos de: - pessoas e máquinas, para plantar, coletar, transportar, armazenar e distribuir.

Trabalhei para uma empresa que distribuía água em garrafões 20 litros retornáveis. A empresa possuía uma fonte em Lindóia, região de excelente de água mineral. Junto ao portão da fonte existiam bicas com a mesma água para quem quisesse encher seu garrafão. A água era grátis, pois não havia custos para a empresa.

O mesmo garrafão de água custa em São Paulo R$ 20,00, para recebimento do produto em casa. O que compreende este preço. Basicamente os custos de desgaste das embalagens, e das operações de envase, estocagem, transporte, movimentação e distribuição dos produtos. Se entendermos que o lucro é remuneração do capital para manutenção de estoque e que imposto sobre água é inexistente, podemos afirmar que os custos do garrafão de água são custos logísticos. Ou seja, um valor de disponibilização de tempo e lugar.

As empresas que buscam redução de custos devem ter na logística o seu foco, e a terceirização pode ser uma possibilidade de redução de custos empresariais.

É sabido que, as decisões de terceirização das operações logísticas baseiam-se na comparação de cotações externas de preços com os custos diretos internos à empresa na execução da atividade. Isto tem se dado tanto nas empresas que ofertam serviços de transporte como nos serviços de movimentação.


 

O foco exclusivo nos custos que podem ser medidos acaba distorcendo os dados no momento da tomada de decisão. A análise de custo deve considerar valor agregado dos serviços e outros aspectos não quantificáveis.

Um dos aspectos que devem ser considerados na terceirização é o da movimentação dos materiais. Sendo que a terceirização do parque de empilhadeira pode possibilitar grandes economias.

O grande ponto é como avaliar ganhos na terceirização. Um dos métodos mais eficientes é a adoção do Custo Total do Relacionamento. Seguem seis dicas básicas:

• Dica 1: Determinar os Benefícios: Consiste em identificar quais reduções de custos são quantificáveis, bem como se os ganhos alcançados contribuirão para gerar vantagem competitiva no mercado.

• Dica 2: Definir os Processos a Serem Analisados. Neste passo deve ser avaliado se existem bons prestadores de serviço disponíveis no mercado, além da atividade logística parece gerar maiores ganhos com a terceirização.

• Dica 3: Escolher o Modelo de Terceirização. Visa avaliar se a magnitude dos retornos potenciais permite a formação de uma relação de parceria com o prestador de serviço em questão.

• Dica 4: Formar Time para Trabalhar no Projeto. Este time deve incluir pessoas de Marketing/Vendas, Sistemas de Informação, e possivelmente os principais clientes afetados com a terceirização. O departamento de Compras/Suprimentos pode coordenar o time de trabalho.

• Dica 5: Testar o Modelo matemático. Nesta etapa deve ser escolhida uma atividade que seja freqüentemente terceirizada pelas empresas (p.ex. transporte) e realizada uma análise piloto.

• Dica 6: Ajustar o Modelo. Objetiva a institucionalização do processo através da formalização da troca de dados entre a empresa, seus clientes e o prestador de serviço. Busca-se o acordo em questões como duração do contrato, protocolos EDI e o compartilhamento de informações de custos.

Se você possui na empresa “expertise” para análise do custo total de relacionamento, avaliação do aproveitamento do parque de empilhadeira, conhecimento de máquinas, o caminho está traçado. Se não possui disponibilidade destes recursos, isto são sinais de que você precisa de ajuda para terceirização de áreas em Logística.