Perdas em Logística




Veja também:
Terceirização de Empilhadeira

Almoxarifados - Redução de Custos
Redução de custos logísticos através da redução de perdas.

Tudo aquilo que é desperdiçado ou extraviado na cadeia de produção pertence ao mundo das perdas. Vivemos num mundo que o desperdício é tão frequente que nós nem nos importamos com ele. Ficamos perplexos com a possibilidade da falta de água e de energia elétrica aqui no país das maravilhas. Uma divulgação maior da necessidade de economia trouxe uma diminuição dos gastos em uma quinta parte. Isto é uma parcela muito significativa na demonstração do descaso com aproveitamento dos recursos.

Perdas em logística

Mas o absurdo do desperdício não está apenas na água, está em vários outros componentes, como no mau aproveitamento dos recursos de transporte, dos espaços, do trabalho humano, na perda de tempo e por que não dizer na logística de suprimento e distribuição dos produtos.

Não é por menos que a logística tem crescido muito nos últimos tempos. Pois, ela vai de encontro com a necessidade de um melhor planejamento das atividades e recursos. Na indústria verificamos perdas no processo produtivo, causadas pelo mau aproveitamento das matérias primas consequência da falta de integração entre os clientes e fornecedores. Verificamos também, o excessivo dimensionamento de estoque que gera perdas pelo dinheiro parado.


Na transferência dos produtos acabados para os atacadistas as perdas acontecem devido ao retrabalho de embalagem e da digitação de dados. Para o produto ser enviado digitam-se os dados da nota fiscal. No atacadista o produto troca de código, a nota é redigitada. Sem contar a ausência de paletes para a transferência das cargas, que promove enormes filas no carregamento e descarga das mercadorias, desperdiçando tempo do caminhão que deveria estar rodando e não parado.


Perdas em transporte

Outro aspecto da logística relativo a transporte é a escassez de estudos de aproveitamento de frete. Quase sempre promove pouco aproveitamento, de rota, de espaço ou de peso nas carroçarias. O argumento de quem se conforma com as perdas é que são inevitáveis. Geralmente atrás do conformismo está à indisposição ou a descrença no planejamento. Consideram planejar, gastos ou desperdício, pois ele exige um investimento inicial para o retorno futuro.

Outro aspecto a considerar é o custo do planejamento e projeto que gira em 3% do valor do empreendimento. Muitas vezes não computamos os custos de perdas por falta de planejamento que geram despesas de reparos extras no decorrer da implantação. Estes reparos esses acabam ficando muito mais caros do que custos de planejar.

Planejamento é a chave do sucesso contra perdas

Planejar é transformar o abstrato em objeto, ou seja, em coisas concretas. Com meus amigos logísticos a minha grande batalha acontece no mundo das novas ideias. Deixam a sensação que em logística não se aceitam novas ideias, pois o grande jargão é que: - no setor onde se faz “tudo” errado e sem planejamento ideias novas é quase uma heresia.

Eles geralmente acertam. As operações logísticas brasileiras ainda se dão de forma ineficiente, pois utilizam ainda utilizam poucos equipamentos de movimentação, de armazenagem e tecnologia de transporte, sem falar da criticidade nas embalagem e unitização. O planejamento da logística empresarial utilizando as melhores práticas possibilita a melhora contínua das operações.

Para uma rede de supermercados foi projetado um sistema de carregamento rápido, no qual considerava a colocação de roletes nas docas e nas carroçarias. A ideia, foi rejeitada pois a solução ainda não estava consolidada no mercado.

Perdas por desvios

Furtos sempre foram problemas para os supermercados e lojas. Os empregados furtam sete vezes mais que os clientes. Na logística ineficiente é que surge a possibilidade do furto por funcionários, pois faltam técnicas de informação sobre estoques e técnicas de unitização e acondicionamento. Uma rede de lojas preocupada com o furto nas suas empresas, identificava a falta, sem saber o quanto e onde existiam os extravios por falta dos indicadores de desempenho.

Perdas em logística

Mas o absurdo do desperdício não está apenas na água, está em vários outros componentes, como no mau aproveitamento dos recursos de transporte, dos espaços, do trabalho humano, na perda de tempo e por que não dizer na logística de suprimento e distribuição dos produtos.
Não é por menos que a logística tem crescido muito nos últimos tempos. Pois, ela vai de encontro com a necessidade de um melhor planejamento das atividades e recursos. Na indústria verificamos perdas no processo produtivo, causadas pelo mau aproveitamento das matérias primas conseqüência da falta de integração entre os clientes e fornecedores. Verificamos também, o excessivo dimensionamento de estoque que gera perdas pelo dinheiro parado.

Na transferência dos produtos acabados para os atacadistas as perdas acontecem devido ao re-trabalho de embalagem e da digitação de dados. Para o produto ser enviado digita-se os dados da nota fiscal. No atacadista o produto troca de código, a nota é re digitada. Sem contar a ausência de paletes para a transferência das cargas, que promove enormes filas no carregamento e descarga das mercadorias, desperdiçando tempo do caminhão que deveria estar rodando e não parado.

Perdas em transporte

Outro aspecto da logística relativo a transporte é a escassez de estudos de aproveitamento de frete. Quase sempre promove pouco aproveitamento, de rota, de espaço ou de peso nas carroçarias. O argumento de quem se conforma com as perdas é que são inevitáveis. Geralmente atras do conformismo está à indisposição ou a descrença no planejamento. Consideram planejar, gastos ou desperdício, pois ele exige um investimento inicial para o retorno futuro.
Outro aspecto a considerar é o custo do planejamento e projeto que gira em 3% do valor do empreendimento. Muitas vezes não computamos os custos de perdas por falta de planejamento que geram despesas de reparos extras no decorrer da implantação. Estes reparos esses acabam ficando muito mais caros do que custos de planejar.

Planejamento é a chave do sucesso contra perdas

Planejar é transformar o abstrato em objeto, ou seja, em coisas concretas. Com meus amigos logísticos a minha grande batalha acontece no mundo das novas idéias. Deixam a sensação que em logística não se aceitam novas idéias, pois o grande jargão é que: - no setor onde se faz “tudo” errado e sem planejamento idéias novas é quase uma heresia.
Eles geralmente acertam. As operações logísticas brasileiras ainda se dão de forma ineficiente, pois utilizam ainda utilizam poucos equipamentos de movimentação, de armazenagem e tecnologia de transporte, sem falar da criticidade nas embalagem e unitização. O planejamento da logística empresarial utilizando as melhores práticas possibilita a melhora contínua das operações.
Para uma rede de supermercados foi projetado um sistema de carregamento rápido, no qual considerava a colocação de roletes nas docas e nas carroçarias. A ideia, foi rejeitada pois a solução ainda não estava consolidada no mercado.

Perdas por desvios

Furtos sempre foram problemas para os supermercados e lojas. Os empregados furtam sete vezes mais que os clientes. Na logística ineficiente é que surge a possibilidade do furto por funcionários, pois faltam técnicas de informação sobre estoques e técnicas de unitização e acondicionamento. Uma rede de lojas preocupada com o furto nas suas empresas, identificava a falta, sem saber o quanto e onde existiam os extravios por falta dos indicadores de desempenho.

As vezes não se acreditam ser possível um projeto logístico que permita acuracidade nos estoques. Mas isto é possível.

O planejamento logístico por vezes é questionado pela geração de valor, assim como o desenvolvimento de embalagem. No laboratório de embalagem do IPT a demanda por ensaios sempre foi baixa pois as empresa não vem vantagens em ensaios laboratoriais. Muitas vendas acabam se perdendo no ponto de venda por inadequação da embalagem de transporte. Embalagens grandes ou pequenas de mais e sem informação.


Dimensão da perdas

No canal de suprimento e distribuição existem perdas que somadas representam muito mais de 20% que foram identificados na área de energia. Cabe aos profissionais de logística trabalhar e planejar as operações de forma integradas e inteligentes.

A diferença do físico com o contábil sempre eram gritantes. Os almoxarifados eram pulverizados nas lojas e sempre havia desorganização. A desorganização promove outros desperdícios assim como a perda de venda por falta de disponibilidade. O cliente nunca encontrava o tamanho de camisa que estava em exposição na vitrine. Isto que gerava a transferência entre lojas. A transferência de mercadoria entre lojas não eram registradas, não existiam controle de recebimento, endereçamento, seleção e entrega. Inventário era coisa de inventor.



Baixe os e-books:
Estudo de Casos

Gestão de Pessoas do Almoxarifado

Embalagem de Papelão Ondulado

Organização de Estoque

Terceirização de Empilhadeira